“Deus inventou o amor de tantas formas diferentes, que nos escolheu pra dar você de presente”.

Sem título-3

Por muito tempo o vínculo no tratamento de pessoas com autismo era praticamente desconsiderado, se não formalmente, sentíamos na pele certa exclusão dos pais e familiares durante as sessões de intervenção clínica dos nossos filhos. Em nosso caso ficávamos na porta quando fechada tentando ouvir algo para saber o que estava acontecendo durante as terapias clínicas, qual era a mágica para nosso menino por vezes demonstrar calma ou irritação nos términos… Perguntas inundavam nossos cérebros e considero importante ressaltar que quando estamos cara a cara com o médico ou outro profissional até esquecemos nossas inquietações e dúvidas, talvez por questões culturais e emocionais sentíssemos vergonha, bloqueio ou receio por não saber que posturas deveríamos adotar frente esta nova condição de João Pedro.

Residimos numa cidadezinha com pouco mais de 15 mil habitantes, sendo comum às pessoas nos cursos ou mesmo pelas redes sociais questionarem: Onde fica esta tal de Maravilha? Ou simplesmente ironicamente exclamam: Que Maravilha! hehe

   Afirmo que após o advento da “internet” muitas distâncias foram encurtadas, vínculos estabelecidos e com estes muitos grupos de pais e profissionais unidos por esta causa que atinge tantas pessoas e vem aumentando em níveis preocupantes. Autismo é um problema de saúde pública e requer atenção não somente dos pares e sociedade civil, mas do poder público.

Quando nosso filho era considerado típico eis que surge alguém muito especial chamada Scarlati e disposta a brincar com nosso pupilo aos sábados, filho único estava constantemente rodeado de adultos então eram super bem-vindas suas visitas…. Pouco tempo depois surge a suspeita e o diagnóstico… pensei nossa agora ela recua se antes já era difícil brincar com ele e nos aguentar hhhahahah imagina se vai ficar… Mas João Pedro gosta tanto dela e por ser minha sobrinha eu também.

 E o inesperado acontece: Ela resolve ficar. E quando lembro deste forte vínculo percebo que sim…. Existe encantamento e amor a primeira vista.

Este relacionamento de parceria ultrapassa sete anos e podemos afirmar que se entendem pelo olhar e quando nossa Scarlati chega pela manhã o dia pode estar nublado que é nosso renovo e o sol. Iniciamos uma vez por semana e mais tarde para realizar a difícil tarefa de ensinar atividades de vida diária nas horas do almoço… Onde ele não sentava a mesa, não segurava talheres e para auxiliar no banho antes da escola, onde se abria o chuveiro não fechava, comia sabonete, esponja e ao menor descuido lá se ia um vidro de shampoo. Diga-se de passagem, nunca queria ir para a escola. Mais tarde ela nos acompanhava nas terapias em outro município e hoje a vemos seis dias por semana. Achamos pouco hahahahah.

Sem título-2

A diferença de João Pedro quando ela está ou não é gritante, consegue coisas com nosso pequeno que nós mesmos considerávamos impossíveis. Aí está a importância do vínculo, onde finalmente os profissionais e estudantes da área do autismo vem considerando antigas e adotando novas abordagens. Quando Scarlati decidiu por cursar Psicologia então, nossa não cabíamos em nós de alegria, amor e orgulho. Ela tem o dom, aliás tem muitos e um destes é chegar pela manhã e falar com meu filho uma linguagem que desperta sua vontade de participar deste mundo: Amor em sua forma mais pura.

Eles são parceiros, compartilham segredos e costuma dizer que não consegue falar sobre ele sem que a emoção tome conta… Pedi certa ocasião que falasse sobre, então disse após muita edição em meio a muitas lágrimas: “ Eu ofereço o melhor de mim, pois ele é minha melhor parte”.

Depois nos abraçamos e não é incomum chorarmos e sorrirmos lembrando sua evolução e alguns momentos marcantes deste trajeto colorido.

Muitos sorrisos e claro tem encrenca também pois segundo sua interlocutora está defendendo os direitos do “Di”, o irmão que Deus e a vida lhe apresentou e SIM ela é a filha que este transtorno de desenvolvimento nos trouxe. Falta pouco tempo para sua formatura em Psicologia e quando me perguntam sobre como será seu futuro profissional respondo:  Scarlati está livre e certamente continuará exercendo seu ofício com excelência, competência, comprometimento e resultado independente de onde estiver. Mas espero que sempre seu coração escolha.

Nossos autistas necessitam de vínculo independente do grau ou nível são seres humanos e sentem tudo a sua volta numa intensidade e frequência infinitamente maior que os outros, respeite considere e fortaleça seu relacionamento. Por vezes, precisa de cuidados, mas o carinho e o amor são fundamentais neste processo. Reafirmo que em nossa vida o importante não é a intensidade, mas a continuidade e quem nos escolhe para acreditar que tudo é possível.

Até mais.

Comments

comments