Autismo é uma nova chance de recomeçar!

17005955_1216292411824071_1094526355_n

O autismo de meu filho me transformou em tudo que eu não gostaria de ser

Quando os pais recebem um diagnóstico de um filho, vem uma pergunta: E agora?

É como se ficasse subentendido meu filho será diferente para sempre, você troca certezas por dúvidas, expectativas por um espectro… E tem alguma coisa boa nisso tudo? Óbvio a gente se descobre ser humano e aprende a viver e valorizar todo e qualquer progresso da criança.

Aliás, João Pedro aprendeu a fazer bolinhas de massa de modelar agora, com dez anos e meio e comemoramos muito. Mas ainda, enquanto pais, somos testados, menosprezados e muito julgados…  Praticamente por tudo. Se estudarmos estamos errados, se assumimos nossos filhos queremos aparecer… Se os deixamos é descaso, se levamos aos lugares públicos, para que? Afinal a maioria dos autistas não consegue se comportar como um adulto ou criança do século 21. Criaram estereótipos de corpo ideal, de comportamento ideal e tudo mais e estão sufocando as crianças com tantos estímulos e tecnologia. O presente que compensa a presença, a cobrança do parceiro e da sociedade que mascara a omissão. Mas a grande maioria dos pais deste século são pais de título e não percebem, pois seus filhos aprendem com os outros, nas instituições e lugares públicos assim como nós também fazíamos.Para uma criança típica ninguém precisa ensinar 100 a 200 vezes como pegar um copo, por exemplo, a gente explica eles observam e aprendem… Mas quando vem um laudo meus caros é como se dissessem: A partir deste momento você precisa descobrir maneiras de ensinar sua prole, não existe medicamento que resolva isso, esta é uma característica permanente, aceite, procure terapeutas, pague e boa sorte!

Mas vocês são felizes?

Muito, mas também sofremos muito com julgamentos e comentários inadequados e fora de contexto. Já disseram que uso meu filho para aparecer, um dos motivos que parei de escrever no blog por um tempo… Esperando com que este indivíduo fizesse algo pela causa autista e adivinhem? Nada aconteceu. Então, resolvi continuar a escrever e preparar o canal para o you tube. Pois não ter receita pronta não significa que não haja dica nenhuma e sempre poderemos ajudar alguém ao menos a se sentir menos excluído pelo mundo dito normal. Muitas mães e pais são lutadores solitários, combatentes do silêncio que normalmente aparece quando já tentamos quase tudo sem êxito. Nossa mas seu filho está ainda assim com tudo isto? Acredite, poderia estar pior. E quando afirmo que o autismo foi uma nova chance de recomeçar não é mero acaso. Esta característica do nosso menino vem nos forjando a reagir e procurar novos caminhos. Estudo autismo para que meu filho não precise ter tanta tolerância comigo, pois seu cérebro é mais sensível e organizado que o meu, é simples e dinâmico, dispensa esta complexidade que pouco serve. João Pedro ainda não verbaliza, mas se comunica muito bem e seus olhares… Ah seus olhos e seus olhares… Encorajam-me a continuar estudando, pesquisando e o amando. E afirmo que não foi este caminho que planejamos ou desejamos percorrer, mas a necessidade nos impôs, 1 em cada 68 nascituros está no espectro autista e enquanto os dados e diagnósticos aumentam precisamos agir, nunca para anular traços mas para oferecer qualidade de vida e independência , pois o mundo não para e ninguém desce e todos estão muito ocupados para ouvir nossos gemidos então firmemos as atitudes e vamos construir novas pontes.

Teremos muitos relatos ainda… Até logo!

Comments

comments